Dúvidas – Mamoplastia de Aumento

01) A cirurgia de aumento das mamas deixa cicatrizes?

 

Esta cirurgia permite-nos colocar as cicatrizes bastante disfarçadas, o que é muito conveniente nos primeiros meses. Para melhor esclarecê-la sobre a evolução cicatricial, vamos relatar os diversos períodos pelos quais as cicatrizes, infalivelmente, passarão:

 

• PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30ºdia e apresenta-se com aspecto pouco visível. Alguns casos apresentam uma discreta reação aos pontos ou ao curativo.

 

• PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 12º mês. Neste período, há o espessamento natural da cicatriz, bem como, se inicia uma mudança de sua cor, passando para mais escuro que vai, aos poucos, clareando. Não podemos apressar o processo natural da cicatrização, e o período tardio, geralmente, diminui os vestígios cicatriciais.

 

• PERÍODO TARDIO: Vai do 12º ao 18º mês. Neste período, a cicatriz começa a tornar-se mais clara e menos consistente, atingindo, assim, o seu aspecto definitivo. Qualquer avaliação do resultado definitivo da mamoplastia de aumento, no tocante à cicatriz, deverá ser feita após este período.

 

02) Onde se localizam as cicatrizes?

 

Geralmente, na aréola, mas pode estar localizada, também, no pólo inferior da mama (no sulco formado entre a mama e o tórax) ou na axila.

 

No caso de reconstrução mamária pós mastectomia, a cicatriz dependerá da posição da cicatriz da mastectomia. Neste caso, também, haverá cicatriz na região doadora da pele e músculo para a reconstrução mamária (geralmente, na região dorsal alta).

 

03) Como ficarão as cicatrizes?

 

As cicatrizes serão permanentes, e vão se modificando com o decorrer do tempo. Cada paciente comporta-se diferentemente de outro, em relação à evolução das cicatrizes, podendo, mesmo em alguns casos, tornar-se imperceptível.

 

Certas pacientes podem apresentar tendência à cicatrização inestética (cicatriz hipertrófica e quelóide). Este fato deverá ser discutido, durante a consulta inicial, bem como, suas características familiares. Pessoas de pele clara tendem a desenvolver menos este tipo de cicatrização.

 

Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar tais cicatrizes inestéticas, na época adequada. A cicatriz hipertrófica ou quelóide, não devem ser confundidas, entretanto, com a evolução natural do período mediato da cicatrização. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução cicatricial deverá ser esclarecida durante seus retornos pós-operatórios, quando se pode fazer a avaliação da fase em que se encontra.

 

04) Existe correção para cicatrizes hipertróficas?

 

Vários recursos clínicos e cirúrgicos nos permitem melhorar tais cicatrizes inestéticas, na época adequada. Não se deve confundir, entretanto, o “período mediato” da cicatrização normal (do 30º dia até o 12º mês) como sendo uma complicação cicatricial. Qualquer dúvida a respeito da sua evolução, deverá ser esclarecida com seu médico.

 

05) Como ficarão minhas mamas, em relação ao tamanho e consistência?

 

As mamas terão seu volume aumentado através da mamoplastia, melhorando sua consistência e forma com a intervenção cirúrgica. Assim é que, neste caso, pode-se escolher o novo volume, pois se dispõe de vários tamanhos e tipos de próteses de silicone a serem introduzidas. Deverá existir uma harmonia entre o volume das mamas e o tamanho do tórax, característica esta, que deve ser objetivada no planejamento da mamoplastia de aumento. O tamanho final do implante de silicone dependerá da vontade da paciente, aliada a critérios técnicos e éticos decididos pelo cirurgião plástico.

 

A mama operada passará por vários períodos evolutivos em função do processo cicatricial.

 

• PERÍODO IMEDIATO: Vai até o 30º dia. Neste Período, apesar das mamas se apresentarem com aspecto melhorado, sua forma e volume ainda estão aquém do resultado planejado.

 

• PERÍODO MEDIATO: Vai do 30º dia até o 3º mês – Neste período, a mama começa a apresentar uma evolução que tende à forma definitiva. Ainda existe, neste período, certo grau de “inchaço” das mamas; além disso, o aspecto cicatricial encontra-se em plena fase de transição.

 

• PERÍODO TARDIO: Vai do 3º até o 18º mês. É o período em que a mama atinge seu aspecto definitivo (cicatriz, forma, consistência, volume, sensibilidade, etc.).

 

06) No caso de nova gravidez, o resultado permanecerá ou ficará prejudicado?

 

Não se pode prever a ação da gravidez sobre as mamas, o seu ginecologista lhe dirá da conveniência, ou não, de nova gravidez. Quanto ao resultado, poderá ser preservado. Geralmente, a nova gravidez não interfere no resultado da mamoplastia com próteses, mas não há como prever o que ocorrerá no seu caso.

 

07) O pós-operatório dessa cirurgia é doloroso?

 

Eventualmente, poderá ocorrer manifestação dolorosa, geralmente associada ao movimento dos braços, que costuma regredir com analgésicos comuns.

 

08) Qual o tipo de anestesia utilizada?

 

Anestesia local sob sedação ou anestesia geral.

 

09) Quanto tempo dura o ato cirúrgico?

 

Em média, de 1 a 2 horas. Entretanto, o tempo de ato cirúrgico não deve ser confundido com o tempo de permanência do paciente no ambiente de Centro Cirúrgico, pois, esta permanência envolve, também, o período de preparação anestésica e recuperação pós-operatória.

 

10) Qual o período de internação?

 

Geralmente, 24 horas.

 

11) São utilizados curativos?

 

Sim. Curativos elásticos e/ou modeladores, especialmente, adaptados a cada tipo de mama, que podem ser trocados pelo médico ou pela própria paciente quando necessário.

 

12) Quando são retirados os pontos?

 

Entre o 6º e o 8º dia pós-operatório.

 

13) Quando poderei retornar aos meus exercícios?

 

Depende do tipo de exercícios e da evolução individual, não existe um período padrão. Exercícios pesados devem aguardar de 30 a 60 dias.

 

14) O que vem a ser o endurecimento das mamas (retração da cápsula)?

 

É uma retração exagerada da cápsula fibrosa (cicatriz interna) que se forma em torno da prótese, que determina diferentes graus de endurecimento à região, quando palpada. Alguns casos podem sofrer retração do volume e em casos de esvaziamento, esta retração poderá ser mais acentuada, se isto ocorrer, as próteses poderão ser retiradas e trocadas. Posteriormente, ambos, cirurgião plástico e paciente, poderão ponderar sobre a conveniência, ou não, da reintrodução de outras próteses, com um diferente plano de introdução ou outra conduta que melhor se adapte ao caso. A retração da cápsula não reflete um problema cirúrgico, mas sim, um comportamento reacional exacerbado do organismo, devido à presença das próteses de silicone.

 



Ainda tem dúvidas?

Pergunte tudo o que precisa saber à Dra Márcia Brandão. Tire todas as suas dúvidas.

Siga-nos nas  Redes Sociais

Seja Bem Vindo

Agende a sua consulta

A satisfação com o corpo contribui para o bem-estar, mas a preocupação com a saúde deve estar sempre em primeiro lugar. 
 

 

    21 2245.5758

         

    21 98460.3063

  Rua do Catete, 311 sala 909

   Catete - Rio de Janeiro - RJ

 

© 2016. Todos os direitos reservados a Dra. Márcia Brandão.